Deep in the meadow, under the willow, a bed of grass, a soft green pillow.
Domingo, 20 de Maio de 2012

Don't you dare

Through the days

I've been discovering

That everything you say

have something amazing

(or dumb).

Through all the smiles

and tears

I finally understood

you make me feel good.

I don't know how

but now you mean the world to me

because somehow

you make me see

that is still worth living

and feeling what life gives to me.

You light up my day

like nobody else can

and you make me feel ok.

 

You're the one and only

my true best friend.

Don't you ever,

ever,

ever dare to live me.


Feito por mim (eu sei que está uma grande porcaria) mas o que conta é a intenção. Feio para a Inês (alexis) porque ela é uma das melhores pessoas que eu já conheci. A melhor amiga que alguém pode ter, e que eu tenho.

separadores: ,
uma filosofia de agnes hope às 13:58
link | comentar | favoritos?
7 comentários:
De Marta a 20 de Maio de 2012 às 14:15
está LINDO :))


De alexis a 20 de Maio de 2012 às 14:22
AMO-TE MINHA GRANDECISSIMA CAMELA, QUE EU MAIS AMO! <3
OBRIGADA POR TUDO! <3


De avery a 20 de Maio de 2012 às 14:29
eu gostei muito.


De avery a 20 de Maio de 2012 às 14:34
de nada.
impossíveis não diria, mas que é muito pouco provável que alguma delas ou algo idêntico a elas chegue às minhas mãos, isso sim.


De avery a 20 de Maio de 2012 às 14:36
c'est la vie, temos de nos contentar com o que temos.


De alexis a 20 de Maio de 2012 às 15:00
bem o texto todo que eu tinha escrito resumia-se a: eu amo-te e obrigada por tudo <3


De carina a 21 de Maio de 2012 às 17:32

não sei se sabes mas ontem fiz uma espécie de saída bué random com o meu grupo de catequese, a minha catequista e três raparigas que são dois anos mais velhas que eu. depois de termos ido almoçar, ido ver um filme e ido dar um passeio, fomos sentar-nos a ver o mar. durante esse tempo, começámos a falar bué abertamente todos. éramos nove raparigas e um rapaz, btw. 
falámos de tudo, fez-me mesmo pensar. começámos por falar do porquê de estarmos na catequese e uma das raparigas contou a história dela na catequese. que antes era a típica que ia para lá obrigada, só fazia porcaria e não queria saber de nada. mas que acordou e viu que não valia a pena, que tínhamos de ter orgulho na nossa religião e que ser catequista não a impedia de ser uma pessoa perfeitamente normal, que sai até de madrugada e vai à missa na mesma, que andar no coro é algo de a faz ter orgulho. coisas assim. com isto decidi, fazer mesmo o crisma e estou a ponderar em juntar-me ao coro. quem sabe se virei a dar catequese após isso.
depois falámos da escola e eu perguntei qual é que era a opinião delas sobre a escola mais perto, que é onde elas andam. elas explicaram-me que é uma boa escola, que até é fácil andar lá, que há mais possibilidade de te integrares e que o mau da escola é que fica no meio do nada. basicamente, decidi optar pela escola mais perto porque estou com medo da outra.


Comentar post

nos favoritos

pulso

Não existe altura inalcan...

eram jogos

Naufrago

chama-lhe sorte

é.

No fundo.

(onze)

em treze palavras

O chão que pisas sou eu.

entertainment

metade são coisas impossíveis; 101 coisas em 1001 dias

dossier

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

separadores

bitches

blogs

cartas

challenge

estúpido

família

férias

filosofias

hunger games

images

inspira-me

jennifer lawrence

josh

movies

músicas

quotes

school

sem interesse

sobre mim

tumblr

todas as tags

de quem fala comigo

«e tu principalmente estas a ser um anjo do meu blog» - lhuna / «eu gosto de ti, sendo tu normal ou não.» - marie

networks

listography; tumblr; twitter; formspring; goodreads; mahogany - blogspot;

theme by ariana